Em Afogados da Ingazeira, o grupo Teatro de Retalhos, de Arcoverde, que se aprentou na última segunda no Cine São José, lamentou a ausência de espaço similar em Arcoverde.

“Ah, se a gente tivesse um espaço assim na nossa cidade”, lamentou uma das integrantes do grupo, após a apresentação de Malassombros – Contos do Além Sertão.

Eles participaram da culminância da Em Cena – Oficina de Sensibilização ao Teatro, ministrada por Caroline Arcoverde e Djaelton Quirino.

A oficina começou no dia 13 de setembro e encerrou suas atividades com a apresentação de esquetes teatrais pelos alunos que participaram dos encontros. Ao todo, foram mais de 30 jovens de Afogados da Ingazeira e Iguaracy que acompanharam os encontros, em grande parte estudantes que se dividiram em duas turmas.

O Cine São José hoje é gerido pela Fundação Cultural Senhor Bom Jesus dos Remédios, fruto de comodato com a Diocese de Afogados da Ingazeira, detentora do prédio, com a qual a Fundação também tem ligação.

Como Fundação, a entidade mantenedora se comunica com vários entes públicos e setores da sociedade. Mas não abre mão de gerir o espaço, mantendo o prédio de 80 anos e equipamentos preservados, derivação do trabalho da Associação Cultural São José.

A entidade adquiriu o equipamento que gera filmes no espaço, um projetor digital da marca Cristie, com investimento de mais de R$ 250 mil, considerando todas as etapas. Conseguiu captação de recursos para a mostra de curtas e outros projetos com Fundarpe e Empetur, além de parceria com a prefeitura de Afogados para eventos públicos no espaço.

Claro, há desafios. Agora mesmo,o equipamento aguarda manutenção em virtude de intercorrência técnica. Mas projeta uma solução definitiva para dar mais estabilidade para o funcionamento do equipamento. Também para a programação de seus oitenta anos, no último trimestre desse ano.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *