Cinco cidades de Pernambuco aparecem na lista das 50 com maior taxa de mortes violentas intencionais do País, segundo levantamento da 17ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta quinta-feira (20).

A taxa de mortes violentas intencionais corresponde ao número total de vítimas de homicídio doloso, latrocínio (roubo seguido de morte), lesão corporal seguida de morte e óbitos decorrentes de intervenções policiais a cada 100 mil habitantes. O anuário é produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

A cidade do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, aparece como a quinta mais violenta do País no ano de 2022. A taxa é de 81,2 homicídios para cada 100 mil habitantes. O número é quase quatro vezes maior do que a média nacional, que é de 23,4.

O município, que nos últimos anos chamou a atenção pelos altos índices de violência, vive numa intensa guerra entre facções criminosas pelo domínio do tráfico de drogas. Em janeiro do ano passado, houve recorde histórico de homicídios: 30.

O Cabo já havia sido destaque nas últimas edições do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Chegou a ficar em 2º lugar no ranking das cidades brasileiras com maior taxa de homicídios – referentes ao ano de 2020. Foram 90 mortes por 100 mil habitantes.

As outras quatro cidades que aparecem na lista também são marcadas pelo avanço da criminalidade, principalmente do tráfico.

Em 27º lugar no ranking nacional, aparece a cidade de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. A taxa é de 51,5 mortes violentas intencionais por 100 mil habitantes.

A cidade de São Lourenço da Mata, também no Grande Recife, aparece na 30º posição nacional. A taxa é de 50,3 mortes por 100 mil habitantes.

Já Garanhuns, aparece na 39º lugar do ranking. A taxa é de 44,9.

Por fim, Jaboatão dos Guararapes, cidade vizinha ao Cabo, está na 42º posição. O índice é de 44,6 mortes.

Todas as cinco cidades também apresentaram resultados piores que a taxa média de mortes violentas em Pernambuco.

No Estado, 3.423 pessoas foram mortas em 2022. A taxa foi de 37,8. No mesmo período de 2021, o número de registros foi 3.370. O aumento foi de 1,3%.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *