A crise na segurança pública de Pernambuco pode se agravar na próxima semana. Em meio ao aumento das mortes violentas, os delegados afirmam que falta diálogo com o governo do Estado e ameaçam não participar dos plantões. A Associação dos Delegados e Delegadas de Polícia de Pernambuco (Adeppe) marcou para o dia 24 uma assembleia extraordinária.

A categoria, que pleiteia aumento salarial e melhorias nas condições profissionais, vai definir as ações de mobilização como forma de pressionar a retomada das mesas de negociação com o governo estadual.

De acordo com o presidente da Adeppe, Diogo Victor, em julho desse ano ficou acertado, na Secretaria Estadual de Administração, que as mesas de negociação específicas seriam retomadas no início de setembro, após a conclusão da mesa geral dos servidores, ocorrida em agosto. Entretanto, até o momento, não houve continuidade do que foi estabelecido, segundo ele.

Assim como ocorreu em 2016, e que gerou transtornos no Estado, os delegados irão avaliar na assembleia extraordinária se entregam os cargos de chefia e os plantões voluntários (Programa de Jornada Extra de Segurança), que são necessários – principalmente à noite e nos fins de semana – por causa do déficit de profissionais.

Na pauta, os delegados também vão decidir, por exemplo, se não participarão do novo plantão da Delegacia da Mulher do Cabo de Santo Agostinho, anunciado pela governadora Raquel Lyra no mês passado. Se isso ocorrer, a unidade policial continuará só funcionando de segunda à sexta-feira, no horário comercial.

por Afogados Online 

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *