O cantor Alexandre Pires, de 47 anos, foi alvo de um mandado de busca e apreensão na segunda-feira, 4, devido a uma investigação da Polícia Federal para desarticular um esquema de financiamento e logística ao garimpo ilegal na Terra Indígena Ianomâmi.

Segundo as investigações, Alexandre Pires teria recebido ao menos R$ 1 milhão de uma mineradora investigada pela Polícia Federal. De acordo com o inquérito obtido pelo jornal O Globo, o esquema contaria com um empresário do ramo musical, de expressão nacional, que seria um dos responsáveis pelo núcleo financeiro da operação.

Pelo que se sabe, o artista vive em uma mansão na região da Granja Viana, em São Paulo. O imóvel custa R$ 16 milhões e não tem limites quando o assunto é conforto. A propriedade tem dois andares e foi colocada à venda no fim de 2022. Ao todo, tem um terreno de 6.902 m² e conta com atrativos como piscina, sauna, estacionamento para 200 veículos, duas cozinhas industriais, ofurô, jardim de inverno e muito mais. No anúncio, o enunciado informa: “Um verdadeiro oásis decorado com muito requinte”.

Alexandre Pires também é proprietário de um imóvel estimado em R$ 4 milhões em Itapema, em Santa Catarina. Além disso, possui um apartamento no condomínio Yachthouse Residence Club, em Balneário Camboriú (SC), no prédio que é considerado o mais alto do Brasil, com 81 andares e 275 metros de altura — e onde Neymar tem uma cobertura quadríplex. Os imóveis ali, podem custar uma média de R$ 8 milhões.

O cantor ainda deve receber uma quantia de R$ 650 mil para fazer um show no Réveillon de Florianópolis (SC). Em junho, ele também teria recebido R$ 580 mil para se apresentar em uma festa de São João de Maracanaú, no Ceará, segundo o jornal O Globo.

por Afogados Online 

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *