Blog foi procurado por pessoa ligada ao menor agredido e apurou caso na Polícia Civil

Desde a última quinta-feira,  um episódio de violência envolvendo um filho menor do ex-prefeito Totonho Valadares toma as redes em Afogados da Ingazeira.

As informações dão conta de uma agressão utilizando-se de um capacete contra um outro menor, no Colégio Normal Estadual.  A vítima é da Vila Pitombeira,  também em Afogados da Ingazeira.

Primo do menor atingido, Charles Cordeiro procurou o blog diz que o caso teve status de tentativa de homicídio.  Também reclama da postura da Direção do Colégio Normal Estadual.

“O menino está com rosto todo disconfigurado. Fui atrás da gestora, mas ela disse que as câmaras da escola não pegaram nada. Que tinha apenas o vídeo da movimentação da escola e que do ato em si não tinha, que já tinha passado pro Conselho Tutelar. Mas  pelo jeito do falar dela, ela está acobertando”, reclama. Ele mostrou imagens da farda ensanguentada da vítima e dele no Hospital Regional.

Também diz que se fosse o contrário,  Renan estaria “preso”. Para menores, o caso sugere apreensão ou internação. “Pelo que vimos, ele foi retirado da cidade e está numa praia, como se nada tivesse acontecido.  Mas não vamos sossegar.  Queremos justiça”, diz.

O blog buscou fontes da Polícia Civil. Verificou que há duas apurações. A da agressão em si, cometida pelo filho de Totonho contra outro menor, identificado como Renan, morador da Vila Pitombeira.

“Um filho de Totonho veio registrar um BO por ameaça contra um familiar da vítima que foi atingida pelo capacete”.

Também que os dois menores já tinham inimizade pregressa. Em vez de buscarem pacificar a situação, alimentaram a rixa. “Ninguém chegou pra pôr fim a isso. Pelo contrário, estimulavam a confusão”, diz a fonte policial.

O menor agressor responderá pelo ato infracional. Haverá ouvidas essa semana. “Foi uma tentativa de homicídio”, diz o denunciante. O menor agredido já foi liberado do Hospital Regional Emília Câmara e recupera-se em casa.

Da redação

O blog apurou que houve questionamentos à imprensa por não dar repercussão ao caso. Entretanto,  à exceção da repercussão nas redes sociais,  com enorme carência de detalhes,  não houve informações oficiais. Por exemplo,  não há boletim oficial. Nesses casos,  quando há apuração,  a notícia se dá pela relevância e repercussão social.

por Nill junior 

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *